Pets Melhor amigo

Melhor amigo

Encontrou um animal abandonado? Saiba o que fazer e os primeiros cuidados

Quem nunca se sensibilizou com um cãozinho abandonado? Nem sempre se pode resgatar o bichinho e ficar com ele, mas algumas dicas podem te ajudar com os primeiros cuidados e a conseguir um novo lar para o animal. Veja:

Primeiro passo: Se possível, leve o cãozinho a um veterinário. Isso é muito importante caso fique um tempo com bichinho – mesmo que seja por pouco tempo – e, principalmente, se tiver outros animais em casa.

Recomenda-se: A castração ajuda na adoção e também na saúde do animal. Há postos de atendimento gratuitos que fazem a cirurgia em cães e em gatos.

Para quem doar? Procure divulgar a foto do cãozinho nas redes sociais e na internet, há muita gente disposta espalhar a notícia e a adotar. Imprimir fotos e divulgar em comércios próximos e na região pode ajudar também. Outras alternativas são feiras de doação (essas só aceitam animais vacinados e castrados) e as ONGs.

Se for ficar com o cãozinho: tenha paciência e compreensão. O animal abandonado pode ter passado por muitas situações de maus tratos. Se o cão apresentar comportamento ofensivo, procure um especialista para te ajudar. Deixá-lo acorrentado pode não ser a melhor opção.

O melhor amigo do homem

Sabia que a convivência com animais traz mais alegria ao lar e até melhora as noções de responsabilidade de uma criança? Isso mesmo! E ainda os animais auxiliam em tratamentos de diversos tipos de enfermidades. Saiba mais sobre em “Pets do Bem”.

Diga não ao abandono de animais

O problema do abandono de animais é causado, principalmente, por pessoas que desistiram de ter bichos de estimação e os deixaram nas ruas. Sem cuidados de um veterinário e a castração, fica difícil controlar a proliferação desses animais e até mesmo as doenças que podem ser transmitidas para humanos. Por isso, conscientize e não pratique esse ato de maldade você também. Quer adotar? Leia Dia Nacional de Adotar um Animal

Comentários (3)

  1. Eu adotei minha cachorrinha da rua, ela é mt medrosa e tmb quando a peguei da rua ela tinha um olhar tão triste, tinha medo de vassoura, fios, até de água, tava mt magrinha. Hoje já se nota a diferença, mesmo ela ainda sendo medrosa, em seis meses já está mais gordinha e adora receber carinho, não sei o que ela já passou por aí, fico mt magoada em pensar que alguém tem coragem de bater num animal tão indefeso e amável.

  2. Eu adotei minha Pituca que é uma cachorra;e mais tres gatos; todos estavam na rua.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assinar newsletter
total